Zhang Zhung & Dzogchen

O país de Zhang Zhung já foi um reino poderoso que ficava no que hoje é o oeste e o norte do Tibete, centrando-se no famoso Monte Kailash. Se considerados apenas sua tradição escrita, esses ensinamentos e práticas remontam pelo menos ao oitavo século da nossa era, vindo do grande mestre Bön Tapihritsa e transmitida a seu discípulo Gyerpung Nangzher Lodpo. O mestre Tapihritsa deu permissão a seu discípulo para escrever esses preceitos do Dzogchen pela primeira vez na língua de Zhang Zhung. Esses mesmos preceitos foram traduzidos para a língua tibetana por Ponchen Tsanpo para o benefício de seus discípulos tibetanos. No século XI, esses preceitos foram coletados de várias fontes no Tibete Ocidental e no Nepal e colocados em sua forma atual por Orgom Kundul e Yangton Sherab Gyaltsan. Assim, mesmo com a perseguição contra o Bön estes ensinamentos nunca foram ocultados ou perdidos, esta transmissão representa uma linhagem contínua e ininterrupta desde os primeiros tempos até presente.

O principal discípulo do mestre Tapihritsa foi o grande Gyerpung Nangzher Lodpo. Ele também nasceu em Zhang-zhung, no distrito dos lagos de Darok, no norte do Tibete. Ele começou a estudar os Nove Caminhos de Bön se tornou muito proficiente em todas essas práticas. Então, aos quarenta e sete anos, ele conheceu Tsepung Dawa Gyaltsan, que já havia sido o mestre de Tapihritsa.

Cinco anos após este primeiro encontro, quando Gyerpungpa estava em retiro na ilha no lago Darok, ao meio dia do décimo quinto dia do primeiro mês de verão, ele teve seu segundo encontro com o mestre Tapihritsa que ficou conhecido como “o Advento Intermediário e Encontro”. O jovem Tapihritsa novamente apareceu para ele em um clarão de luz, sentado nu no meio de uma esfera de arco-íris suspensa no céu. Gyerpungpa se prostrou para ele e andou ao seu redor por três vezes. Então Tapihritsa ensinou a Gyerpungpa a natureza da mente e transmitiu ao seu discípulo os ensinamentos sobre as Seis Lâmpadas.

Algum tempo depois, Gyerpungpa teve seu terceiro encontro com o mestre Tapihritsa enquanto meditava novamente em uma ilha no lago Darok. Tapihritsa novamente se manifestou na frente dele em sua forma Nirmanakaya. Tapihritsa então se dirigiu a ele, dizendo: “Você foi levado à Base Primordial – Natureza da Mente. Agora vou ensinar-lhe as instruções orais profundas e secretas para o Dzogchen. Este será meu ensinamento final para você e representa os mais altos ensinamentos do Bön e o coração dos ensinamentos tântricos. É como o olho do corpo”. Esses ensinamentos vieram originalmente do próprio Dharmakaya e foram transmitidos através das linhagens celestiais e terrestres para Tapihritsa. O mestre deu sua permissão e, ao seu comando, Gyerpungpa escreveu esses breves ensinamentos com tinta azul em papel branco. Assim, ele gravou “O Upadesha em oito capítulos”. Então Tapihritsa ensinou-lhe “Os 21 pregos”, que pertencia ao ciclo secreto excedente. Este foi o seu terceiro e último encontro.